Seap moderniza segurança prisional com equipamentos de alta tecnologia

Garantir modernidade e inovação para o sistema penitenciário são objetivos da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Para isso, o Secretário da pasta, Jarbas Vasconcelos; acompanhado do Secretário-adjunto coronel Arthur Moraes e da Diretora de Licitação, Contratos e Convênios da Seap, Larissa Beltrão, está em São Paulo visitando diversas empresas fornecedoras de equipamentos de segurança. Novidades de alta tecnologia para a Seap já foram garantidas e chegarão a Belém com brevidade para disponibilização nas unidades penitenciárias e uso pelos policiais penais. 

Segundo o secretário-adjunto da Seap, coronel Arthur Moraes, a importância dessas visitas técnicas é primeiro conhecer mais sobre o material que está sendo produzido e comercializado no Brasil. "Sobre as possibilidades atuais de novas versões, de novas tecnologias agregadas, e o que as polícias e instituições de referência em segurança pública estão utilizando, mas principalmente ver o que é aplicável à Seap, ao GAP e principalmente adequados à região amazônica", destaca. 

Em primeiro momento, a equipe visitou a empresa Astro & Military Defense, que trata da fabricação de equipamentos anti-distúrbios e acessórios policiais. Lá foi visto o esoesqueleto que vai ser utilizado pelo Grupo de Ações Penitenciárias (GAP), o novo grupamento de elite da Seap. 

Em visita na empresa Protecta, que fabrica escudos, coletes, capacetes balísticos e outros equipamentos de proteção contra armas letais, os gestores conheceram o escudo balísticos com viseira nível III A, que protege o usuário contra ameaças de submetralhadora 9 mm e 44 magnum. O mais leve do Brasil, com 5,2kg. Hoje são usados escudos com mais de 10kg. Na oportunidade, a secretaria comprou novos coletes balísticos de alta resistência. São coletes proteção III A , com silhueta feminina e conforto na espalda. Nos próximos dias chegarão 300 unidades destes.

O colete é o mais moderno do mundo porque além da boa proteção balística é o mais leve que existe no mercado. Assim como o escudo, que está com peso 20% mais baixo dos concorrentes e da sua última versão, mantendo uma proteção mais efetiva na atividade operacional. 

Por fim, foi visitada a empresa Glock, onde foram apresentadas as pistolas de 5ª geração que servem polícias de diversos continentes, como a América do Norte e Europa. A Seap receberá algumas dessas armas para que possam ser testadas pelos policiais penais e agentes do Comando de Operações Penitenciárias (COPE) em vista de um novo certame para aquisição de armamento.

Larissa Beltrão, diretora de Licitação, Contratos e Convênios da Seap, explica que o objetivo da viagem é a busca pela contínua modernização do sistema penitenciário paraense. "Visamos atualizar o sistema com os melhores equipamentos de ponta e alta tecnologia que hoje estão disponíveis no Brasil. Na antiga Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário) só tinha material que sobrava ou era doado pelas outras forças de segurança pública. Agora é diferente, trata-se da valorização do servidor com a disponibilização de materiais de ponta para a execução do trabalho", garante.